Thássia Em Um Postagem

27 Nov 2018 05:50
Tags

Back to list of posts

quando-pubblicare-sui-social-network.jpg

<h1>Como Virar Blogueira Profissional</h1>

<p>Quando algu&eacute;m come&ccedil;ou a partilhar imagens da adolesc&ecirc;ncia de Fernando (nome fict&iacute;cio), de 25 anos, entre a fam&iacute;lia de tua namorada, ele sabia que isso estava long&iacute;nquo de ser somente uma brincadeira. Morador de uma capital nordestina, o jovem &eacute; transexual e aparece nas imagens, publicadas na internet, com a apar&ecirc;ncia que tinha antes de iniciar seu modo de transi&ccedil;&atilde;o para o g&ecirc;nero masculino -ou seja, ainda como uma crian&ccedil;a.</p>

<p>E foi ent&atilde;o, desta forma nada sutil, que seu sogro soube de sua circunst&acirc;ncia. Desde desse modo, Fernando tenta remover estas imagens e evitar que voltem a ser usadas para constrang&ecirc;-lo. O problema &eacute; que elas est&atilde;o postadas em um perfil que ele construiu em 2006 no Fotolog, rede social febre na d&eacute;cada passada.</p>

<p>Hoje, quase abandonada, impossibilita seus usu&aacute;rios de acessarem e apagarem tuas posts. Fernando &agrave; BBC Brasil. Teu caso n&atilde;o &eacute; &uacute;nico: pela web, pipocam relatos parecidos. Carolina (nome fict&iacute;cio), de 27 anos, vive no cora&ccedil;&atilde;o do pa&iacute;s e n&atilde;o teve uma experi&ecirc;ncia traum&aacute;tica como a do menino. Entretanto, ao tentar acessar seu perfil para pegar do ar imagens hoje indesejadas, se deparou com a mesma dificuldade. Se voltarmos no tempo, a moda 10 anos atr&aacute;s era sacar uma m&aacute;quina fotogr&aacute;fica Sony Cybershot, fazer o registro e sair em busca da lan house mais pr&oacute;xima para post&aacute;-lo no Fotolog.</p>

<p>A premissa era novidade: um servi&ccedil;o de website em que cada artigo tinha uma imagem como grande estrela, diversas vezes acompanhada de longos textos. No Brasil, chegou a al&ccedil;ar pessoas &agrave; fama. Para ela, a plataforma n&atilde;o soube evoluir. Parado no tempo, o site mant&eacute;m congeladas fotos que algumas pessoas nem lembram que existem. Ainda propagandeia seu app, retirado h&aacute; tempos das lojas da Apple e do Google. Restam alguns poucos usu&aacute;rios ativos, que s&atilde;o passageiros de uma esp&eacute;cie de nave espacial desgovernada no mundo da web. Quem se lembrou de suas imagens -e correu para apag&aacute;-las- se deparou com um abacaxi.</p>
<ul>
<li>Defina objetivos para o seu site</li>
<li>&Eacute; utilizado por diversas faixas et&aacute;rias de p&uacute;blico</li>
<li>Chama aten&ccedil;&atilde;o para novos produtos</li>
<li>Persista - mesmo se tudo parecer desfavor&aacute;vel zoom_out_map</li>
<li>1/2 colher de ch&aacute; de pimenta-do-reino mo&iacute;da</li>
<li>Ela recebe buscas suficientes por m&ecirc;s</li>
</ul>

<p>O problema descrito na maioria &eacute; que o servi&ccedil;o de recupera&ccedil;&atilde;o de senha do website n&atilde;o tem &ecirc;xito. Ele deveria, depois de o detalhe do nome do usu&aacute;rio, enviar um e-mail com um link permitindo criar uma nova, o que simplesmente n&atilde;o acontece mais. Alguns, a exemplo de Carolina, t&ecirc;m mais um problema: em meados da d&eacute;cada passada, era comum uma s&oacute; pessoa montar diversas contas de e-mail em diferentes provedores de internet.</p>

<p>Com isso, h&aacute; quem n&atilde;o lembre qual endere&ccedil;o eletr&ocirc;nico cadastrou no Fotolog ou tenha desativado precisamente aquele que foi utilizado. No site Reclame Neste local, que re&uacute;ne queixas sobre isto servi&ccedil;os e produtos, as cita&ccedil;&otilde;es &agrave; plataforma t&ecirc;m crescido nos &uacute;ltimos meses, todas sem resposta. Bem como h&aacute; relatos em outros f&oacute;runs virtuais e no Facebook. A BBC Brasil fez um teste e tentou entrar em contato com a administra&ccedil;&atilde;o do web site pelo servi&ccedil;o &quot;Diga Conosco&quot;.</p>

<p>Todos os e-mails ficaram sem resposta, a modelo do que Fernando havia relatado: &quot;&Eacute; como se n&atilde;o existisse ningu&eacute;m que olhasse essas mensagens&quot;. Nascido em 2002 em Nova York, o Fotolog foi comercializado em 2007 ao grupo franc&ecirc;s Hi-Media, da &aacute;rea de publicidade e pagamentos digitais. O plano era claro: tornar o servi&ccedil;o rent&aacute;vel, est&iacute;mulo de dez entre dez plataformas iguais &agrave; data. A organiza&ccedil;&atilde;o se engrandecia de que o website era um dos 20 mais visitados em todo o mundo e brigava pelo topo entre as redes sociais em pa&iacute;ses como Chile, Argentina e Espanha.</p>

<p>Noventa milh&otilde;es (em valores da &eacute;poca), pagos em dinheiro e em a&ccedil;&otilde;es da compradora francesa. Nos dias atuais, todavia, encontrar os respons&aacute;veis n&atilde;o &eacute; tarefa f&aacute;cil. A Hi-Media ainda &eacute; apontada como a dona do Fotolog pelo pr&oacute;prio blog, todavia sua porta-voz falou n&atilde;o poder apontar uma solu&ccedil;&atilde;o para o defeito j&aacute; que, de acordo com ela, a corpora&ccedil;&atilde;o n&atilde;o &eacute; mais a propriet&aacute;ria. E n&atilde;o respondeu mais &agrave;s mensagens da BBC Brasil. Em um comunicado enviado &agrave; imprensa em dezembro passado, o grupo franc&ecirc;s divulgou que &quot;um empres&aacute;rio&quot; adquiriu 51% do website -no balan&ccedil;o financeiro do primeiro semestre desse ano, diz ainda ter 49% do neg&oacute;cio. A BBC Brasil tamb&eacute;m procurou Scott Heiferman, fundador do web site, para ver de perto se ele tinha pistas. Por&eacute;m o empreendedor da internet, que n&atilde;o posta nada em teu perfil desde 2008, um ano ap&oacute;s deixar o neg&oacute;cio, n&atilde;o quis expressar sobre isto.</p>

<p>Citou s&oacute; n&atilde;o manter &quot;contato com ningu&eacute;m sobre o Fotolog h&aacute; anos&quot;. A reportagem levou 3 semanas pra distinguir este novo e misterioso dono: o empres&aacute;rio franc&ecirc;s Sven Lung, que tem abundantes neg&oacute;cios pela internet. No Brasil, &eacute; dono do web site Dout&iacute;ssima, dedicado a sa&uacute;de e bem-estar. Por meio deste web site, a BBC Brasil pediu pra expor com Lung e enviou perguntas a respeito de a dificuldade relatado pelos ex-usu&aacute;rios. Foi informada, entretanto, que o &quot;Fotolog e o Dout&iacute;ssima s&atilde;o corpora&ccedil;&otilde;es distintas&quot;, e que deveria buscar a Hi-Media.</p>

Comments: 0

Add a New Comment

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License